ALGAS VERDES, VERMELHAS & PARDAS.

 

    As três divisões de algas, inteira ou parcialmente multicelular, compreendem as algas vermelhas (divisão Rhodophyta), as algas pardas (divisão Phaeophyta) e as algas verdes (divisão Chlorophyta). Os membros destas divisões são na grande maioria aquáticos; as algas pardas e as vermelhas são de grande importância nos habitats marinhos, e as algas vermelhas são freqüentemente abundantes em habitats de água doce, especialmente nos meses mais quentes. Alguns gêneros de algas verdes também ocorrem no mar e poucos gêneros de algas de algas vermelhas e pardas ocorrem em água doce. Em todos estes habitats, os membros destas divisões exercem um papel ecológico comparável ao das plantas nos habitats terrestres.
    As várias divisões de algas parecem Ter se originado de relações simbiônticas entre células eucarióticas não - fotossintetizantes semelhantes a protozoários e bactérias fotossintetizantes. Os cloroplastos das algas vermelhas são bioquímica e estruturalmente muito semelhantes às cianobactérias, a partir das quais eles provavelmente derivaram.         Atualmente, esta sendo investigado se os cloroplastos, bioquimicamente diferentes, de alga pertencentes a outras divisões evoluíram a partir dos cloroplastos de algas vermelhas ou se derivaram diretamente de grupos de bactérias fotossintetizantes com características diferentes.
    Rhodophyta ( algas vermelhas) constitui um grupo grande, especialmente comum em águas marinhas mais quentes. Crescem quase sempre fixas a um substrato, e algumas ocorrem em grandes profundidades ( alcançam até 268 metros ). Ela contêm ficobilinas, que conferem sua cor característica, e clorofila a.
    Phaeophyta ( algas pardas ) inclui as algas marinhas maiores e mais complexas. Em muitas espécies, o talo vegetativo é bem diferenciado em apressório, estipe e lâmina. Algumas têm tecidos condutores, cuja complexidade as aproxima de plantas vasculares. Os cloroplastos de algas pardas contêm clorofila a e c, juntamente com grande quantidade de fucoxantina, que confere a coloração verde - oliva a marrom - escura a este grupo de algas. O esporófito é geralmente maior do que o gametófito.
    Chlorophyta ( algas verdes) é a maior e mais diversificada das três divisões aqui consideradas e aquela a partir da qual provavelmente as plantas evoluíram. Seus cloroplastos, que contêm clorofila a e b e carotenóides, são os locais de armazenamento de amido; neste aspecto são idênticos aos cloroplastos das plantas. Os ancestrais das algas verdes parecem Ter sido organismos unicelulares flagelados com escamas. A divisão compreende pelo menos cinco classes, das quais três são tratados com detalhe.
    Charophyceae ocorrem principalmente em água doce, enquanto Ulvophyceae ocorre principalmente em habitats marinhos. Todas as três classes incluem gêneros unicelulares, gêneros com poucas células e gênero filamentoso e parenquimatosos; Chlorophyceae inclui também gêneros coloniais móveis e não - móveis. Os esporos móveis de Charophyceae são assimétricos e têm flagelos laterais ou subapicais que se projetam em ângulo reto, enquanto os das outras duas classes são radialmente simétricos e têm flagelos apicais.
    No Chlorophyceae, o fuso mitótico colapsa na telófase, e um ficoplasto se desenvolve. O ficoplasto é um sistema de microtúbulos citocinéticos orientados paralelamente ao plano de divisão celular. Em Charophyta e Ulvophyceae, o fuso mitótico persiste durante a telófase. Além disso, em algumas Charophyceae ocorre um fragmoplasto, um sistema de microtúbulos orientados em ângulo reto em relação ao plano de divisão celular, como as plantas.
    A reprodução sexual em Charophyceae e Chlorophyceae sempre envolve a produção de um zigósporo dormente e é caracterizada por meiose zigótica; a reprodução sexual em Ulvophyceae freqüentemente envolve alternância de gerações (meiose espórica), e zigotos dormentes são raros.

 

VOLTA

 

 Biotravel ® - 2010 - Todos os direitos Reservados